O que é ZERO WASTE e por onde começar

August 16, 2017

No nosso último post falamos em como ter uma vida mais sustentável, e uma forma de começar é produzindo menos lixo e dando o destino correto a ele. O movimento zero waste ou lixo zero, quer dizer exatamente isso: viver sem produzir lixo, ou pelo menos tentar. Parece simples? Tente passar um dia só e depois responda.  Esse movimento se popularizou com Béa Johnson, uma francesa que atualmente mora na California e adotou o estilo de vida zero waste em 2008. Béa é uma referência inspiradora e também uma grande fonte de informação para quem busca o mesmo estilo de vida: além dela, sua família também pratica o zero waste, e esse foi o lixo produzido por eles em todo o ano de 2014: 

Apesar do esforço, mudanças de hábitos e dificuldades, ela diz que desde o início da jornada lixo zero, a vida dela e da família mudou pra melhor. E faz sentido né?! Menos lixo pode significar mais tempo, mais espaço, mais experiências e ao mesmo tempo, menos coisas, menos gastos e menos desperdício.

 

Béa escreveu o livro Zero Waste Home (título original: Zéro Déchet) sobre sua experiência e nele propõe um guia simples para se ter uma vida lixo zero, os 5R’s: recuse, reduza, reuse, recicle e “rot”, que em português significa “apodrecer” e está relacionado à compostagem de materiais orgânicos biodegradáveis. A ideia é que os 5R’s sejam aplicados nessa ordem, por exemplo, caso algum lixo não possa ser recusado, tente pelo menos usar em menor quantidade, caso não consigo usar menos, reutilize, depois de reutilizar, ou caso não possa reutilizar, recicle. Aqui no Brasil, o movimento se tornou mais popular graças à projeção do blog “Um Ano Sem Lixo” da Cristal Muniz  (outra inspiração). No blog, ela mostra soluções e destinos criativos para o lixo, seja ele descartável, reciclável, biodegradável ou químico.

 

De novo, não é tão simples como parece, mas para ajudar, nós separamos algumas dicas práticas, simples e que podem ser aplicadas amanhã* pra quem quer levar uma vida com menos lixo, ou quem sabe, lixo zero. 

 

*Ainda não vamos falar em produzir a própria pasta de dentes, a receita do leite de amêndoas caseiro ou como manter um minhocário. Por enquanto são dicas realmente simples pra não assustar ninguém.

 

Ecobag: nos dê um motivo pra não ter uma, duas, três, dez ecobags. Não existe motivo. Tenha uma ecobag em casa, uma na mochila, uma no carro, uma no trabalho. Use ecobags e você nunca mais vai precisar usar sacolas plásticas. Hoje em dia, você encontra ecobags para vender em qualquer lugar, e se realmente não encontrar (o que eu duvido muito) te damos uma da Mudha com o maior prazer, mas tem que usar, tá?! Caso ainda não esteja convencido, aqui vão alguns fatos relevantes sobre sacolas e embalagens plásticas single use (de uso único) em geral: 1,5 milhão de sacolas plásticas são distribuídas no Brasil por hora. 56% do lixo plástico no país é composto de embalagens usadas só uma vez. 1 milhão de sacos plásticos é consumido no mundo por minuto, isso significa quase 1,5 bilhão por dia e mais de 500 bilhões por ano. 10% de todo o lixo coletado nas cidades é composto por sacolas plásticas de uso único. 20 vezes mais plásticos são produzidos e consumidos no Brasil hoje em comparação há 50 anos. Em média 40kg de plástico são descartados por cada família brasileira em um ano. 500 anos é o tempo aproximado que as sacolas plásticas levam para se deteriorar no meio ambiente. E se tudo isso não foi suficiente, assista esse documentário

  

Garrafa térmica: assim como as ecobags, não tem motivo pra não usar. Você economiza dinheiro por não precisar comprar água, além disso é comprovado (por mim pelo menos) quer ter uma garrafa de água sempre perto faz você beber mais e evita que beba outras bebidas industrializadas. Sem falar na questão do BPA (Bisfenol A) que é um componente químico das garrafas de plástico que pode ser liberado conforme a garrafa é aquecida ou resfriada e, em termos práticos, solta um gosto ruim. A dica aqui é investir em pelo menos uma garrafa térmica, preferencialmente de alumínio, e uma caneca térmica para café ou chá, não use a mesma para as duas coisas porque deixa gosto. Ah, mas não vai querer comprar um galão de 5 litros pra encher sua garrafinha de água né?! A solução mais simples e barata é…

 

Filtro de barro: o velho e bom filtro de barro é, na minha opinião, o melhor investimento que já fiz pra minha cozinha. É como mágica: água de graça, sempre fresquinha e sem gosto, bem como tem que ser. 

 

Comprar à granel: essa dica tem nível de dificuldade médio, isso porque aqui no Brasil ainda é relativamente difícil encontrar alguns alimentos à granel. De qualquer forma, sementes, cereais e chás, por exemplo, são facilmente encontrados em lojas de produtos naturais e no mercado público da cidade. Já arroz, feijão e outros grãos você pode…

 

Comprar na feira: feiras de produtores locais (opte por orgânicas) geralmente vendem à granel, e de quebra, são mais baratos que no mercado, isso porque não levam embalagem (!), têm gastos mínimos com transporte e armazenamento e não tem intermediários. Outra vantagem das compras à granel é que você compra só a quantidade que realmente precisa, evitando o desperdício. A dica aqui é levar saquinhos de pano (não se preocupe em parecer estranho, os feirantes estão acostumados) ou então…

 

Embalagens de vidro: o vidro é outro aliado importante na jornada lixo zero, além de durar pra sempre, enquanto embalagens de plástico estragam logo, ficam com cheiro e liberam BPA, o vidro é um material que quando reciclado, mantém suas propriedades e seu volume inalterado, ou seja, ele pode ser reciclado infinitamente e nunca vai perder a qualidade. Pode levar pra feira e pro mercado também, é só tirar a tara na pesagem e fica tudo certo. 

 

Marmita: seja ela pra almoço, janta ou lanche da tarde, levar uma marmita evita o consumo de embalagens descartáveis (lembra daqueles dados?), economiza dinheiro e é, no geral, mais saudável. 

 

Reavaliação do que você realmente precisa: essa pode ser uma das dicas mais difíceis de ser colocada em prática, mas também a que vai surtir mais efeito na jornada zero waste: você realmente precisa de tudo o que consome? Precisa daquele cosmético novo? Daquela barra de cereais? Daquela peça de decoração que vem enrolada em mil camadas de plástico?  Reavaliar o que é realmente essencial na nossa vida pode ser algo revelador e até life changing.

 

Então vamos à prática? Na oficina “O que é ser lixo zero e por onde começar” da Pasárgada, foi lançado um desafio que convidamos vocês a tentar: ao chegar em casa, observe seu lixo e escolha algum deles para parar de produzir, por exemplo, uma garrafa PET. Na próxima semana, escolha outro, e assim vai… A tendência é ver o volume de lixo diminuir, você economizar dinheiro e ter uma alimentação mais saudável por consumir menos industrializados. Viu?! Só vantagens!

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Do conceito da coleção às peças na arara: conheça nosso processo de criação!

June 24, 2020

1/7
Please reload

Posts Recentes